150 pessoas são convocadas para Frente de Trabalho

0
40
Mais candidatos serão chamados nos próximos dias. Além da ocupação e renda, a Frente de Trabalho oferece cursos de qualificação profissional para os participantes
O prefeito de Poá, Gian Lopes, realizou na manhã de hoje (2), na Praça dos Eventos, uma atividade de “boas vindas” com os 150 convocados para o Programa de Combate ao Desemprego e Incentivo à Qualificação Profissional, conhecido como Frente de Trabalho. Também participaram da reunião o secretário municipal de Indústria, Comércio, Emprego e Relações do Trabalho, Ricardo Massa e os vereadores Marcilio Duarth e David de Araujo Campos, o Tio Deivão.
Segundo o prefeito Gian Lopes, nos próximos dias mais candidatos serão chamados. “Após o processo de inscrição e avaliação com Assistente Social, começamos a convocar as pessoas para Frente de Trabalho. Fiz questão de vir aqui desejar um 2018 de expectativas positivas e tenho certeza que será um ano de grandes conquistas. É muito gratificante poder oferecer uma oportunidade para todos aqui, muitos há meses sem emprego e renda. E conto com eles, que reforçarão o trabalho de zeladoria do município e em poucos meses já teremos uma cidade mais bonita e organizada”, comentou.
De acordo com o secretário Ricardo Massa, o principal critério de seleção é a situação de vulnerabilidade social do candidato e a administração municipal realiza as contratações de acordo com a necessidade e disponibilidade financeira. A Prefeitura de Poá publicou em abril de 2016 o decreto regulamentando a lei municipal nº 3.623 do Programa de Combate ao Desemprego e Incentivo à Qualificação Profissional. Segundo o documento, é permitida a ocupação de trabalhadores desempregados, com salários de R$ 802,85, auxílio cesta básica de até R$ 135 e seguro de acidentes pessoais.
“Além da ocupação e renda, a Frente de Trabalho oferece cursos de qualificação profissional para os participantes. A jornada de atividade no programa é de 40 horas semanais, sendo 35 horas de trabalho e cinco horas de qualificação profissional, que é obrigatória. Como a inscrição no programa vale por dois anos, o prazo de permanência do inscrito aumenta a possibilidade do mesmo ser chamado”, comentou Ricardo Massa, que reforçou que os beneficiários que já estavam contratados pela Frente de Trabalho terão seus contratos integralmente cumpridos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui