150 pessoas são convocadas para Frente de Trabalho

Mais candidatos serão chamados nos próximos dias. Além da ocupação e renda, a Frente de Trabalho oferece cursos de qualificação profissional para os participantes O prefeito de Poá, Gian Lopes, realizou na manhã de hoje...

76 0
Mais candidatos serão chamados nos próximos dias. Além da ocupação e renda, a Frente de Trabalho oferece cursos de qualificação profissional para os participantes
O prefeito de Poá, Gian Lopes, realizou na manhã de hoje (2), na Praça dos Eventos, uma atividade de “boas vindas” com os 150 convocados para o Programa de Combate ao Desemprego e Incentivo à Qualificação Profissional, conhecido como Frente de Trabalho. Também participaram da reunião o secretário municipal de Indústria, Comércio, Emprego e Relações do Trabalho, Ricardo Massa e os vereadores Marcilio Duarth e David de Araujo Campos, o Tio Deivão.
Segundo o prefeito Gian Lopes, nos próximos dias mais candidatos serão chamados. “Após o processo de inscrição e avaliação com Assistente Social, começamos a convocar as pessoas para Frente de Trabalho. Fiz questão de vir aqui desejar um 2018 de expectativas positivas e tenho certeza que será um ano de grandes conquistas. É muito gratificante poder oferecer uma oportunidade para todos aqui, muitos há meses sem emprego e renda. E conto com eles, que reforçarão o trabalho de zeladoria do município e em poucos meses já teremos uma cidade mais bonita e organizada”, comentou.
De acordo com o secretário Ricardo Massa, o principal critério de seleção é a situação de vulnerabilidade social do candidato e a administração municipal realiza as contratações de acordo com a necessidade e disponibilidade financeira. A Prefeitura de Poá publicou em abril de 2016 o decreto regulamentando a lei municipal nº 3.623 do Programa de Combate ao Desemprego e Incentivo à Qualificação Profissional. Segundo o documento, é permitida a ocupação de trabalhadores desempregados, com salários de R$ 802,85, auxílio cesta básica de até R$ 135 e seguro de acidentes pessoais.
“Além da ocupação e renda, a Frente de Trabalho oferece cursos de qualificação profissional para os participantes. A jornada de atividade no programa é de 40 horas semanais, sendo 35 horas de trabalho e cinco horas de qualificação profissional, que é obrigatória. Como a inscrição no programa vale por dois anos, o prazo de permanência do inscrito aumenta a possibilidade do mesmo ser chamado”, comentou Ricardo Massa, que reforçou que os beneficiários que já estavam contratados pela Frente de Trabalho terão seus contratos integralmente cumpridos.


Participe da conversa