331 0

Desafio para a maioria das cidades brasileiras, a manutenção do serviço de iluminação pública em Arujá é realizada pela concessionária de energia Elektro. Com o intuito de dar resolutividade às queixas da população, uma força tarefa envolvendo Prefeitura e Câmara foi criada em 24 de fevereiro. Desde a data, 716 pontos de luz foram trocados na cidade, segundo a Elektro.

De acordo com o representante da concessionária, Milton Pontes, desde a criação da força tarefa foram feitos reparos em bairros como Jardim Emília, Recanto Primavera, Mirante, Parque Rodrigo Barreto, além da Estrada de Santa Isabel, entre outros. Após a união de esforços, o número de pontos com problemas foi para 3% e esta demanda deve ser sanada até 30 de abril.

Segundo o secretário de Serviços, Leandro Larini, os 716 pontos restaurados são o início de um plano de melhorias exigido pelo município, uma vez que, por determinação judicial, o serviço é de responsabilidade da Elektro. A próxima etapa é o investimento com tecnologia de LED nas principais praças e rotatórias da cidade.

Apoio

Para garantir eficiência ao encaminhamento das demandas, a Secretaria de Serviços disponibilizou o telefone 4651 4278 para a população informar problemas relacionados à iluminação pública, assim como um servidor para atender essas ligações e cobrar as providências da Elektro.

Larini explica que as ações são acompanhadas diariamente, com o apoio dos vereadores: “É importante frisar que os vereadores disponibilizaram equipes para trabalhar à noite e levantar a real demanda do município. Com isso, estamos conseguindo buscar resultados com mais eficiência. Só tenho a agradecer pelo empenho da Câmara. É uma parceria em prol da cidade”.

CIP
Ele esclarece que a iluminação ornamental de praças, canteiros centrais e áreas de lazer de todo o município é mantida por uma equipe própria da Prefeitura e um caminhão terceirizado: “Parte do recurso da CIP (Contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública) vai para este serviço e o restante é destinado a expansões do serviço de iluminação”.

“A gente lê muita coisa que não corresponde à verdade sobre o recurso oriundo desta taxa. É preciso dizer que esse valor é protegido por lei, é contabilizado e só pode ser utilizado na iluminação. Quem faz insinuações descabidas e diz o contrário está distorcendo fatos para confundir as pessoas. É um desserviço”, acrescenta.

In this article

Join the Conversation