Atletas do Mogi das Cruzes/Helbor levam experiências para turma de basquete do Sesc Pinheiros

0
23

Os praticantes de basquete do Sesc Pinheiros, em São Paulo, tiveram uma noite especial nessa terça-feira (10). Os jovens e adultos que praticam o esporte na unidade puderam ouvir as histórias e participar de uma clínica com Shamell Stallworth, Larry Taylor e Tyrone Curnell. A turma ainda pôde conhecer um pouco mais da história do Mogi das Cruzes/Helbor, com uma apresentação do locutor da equipe Flávio Maciel e também do Secretário de Esporte e Lazer de Mogi das Cruzes, Nilo Guimarães. Ao final da clínica, três sortudos foram premiados com uma camiseta oficial do time.

“A gente faz um trabalho não de treinamento, mas de vivência no basquete, e trazer atletas é muito importante para os alunos terem esse contato com eles que estão no alto rendimento. Isso serve como motivação. As histórias que eles têm para contar sempre são importantes. Os Estados Unidos ainda é o país do basquete e a gente trazer os três americanos que são destaques no NBB é uma honra muito grande tê-los aqui e, pelo que estamos acompanhando nas atividades, o pessoal gostou bastante”, Ronan Kayano Genoino, monitor de esportes do Sesc.

O ala e capitão Shamell Stallworth contou várias histórias de sua vida no esporte, desde o seu começo até casos de racismo e também sobre como eles podem melhorar o jogo em quadra. “É bom a gente ter esse contato, porque eles são fãs do basquete, assistem e vão aos jogos, e nem sempre eles têm essa proximidade, essa conversa, essa experiência de ficar tão próximo dos jogadores. Conversamos um pouco sobre outros aspectos e não só do basquete. Falamos sobre a comparação e do crescimento do basquete nos Estados Unidos e aqui no Brasil, o que eles podem melhorar no jogo deles. Essa experiência é igual nós tivemos quando conhecemos nossos ídolos. A primeira vez que eu conheci Kobe Bryant eu fiquei assim como eles. Eu acho isso muito bacana mesmo, porque sem eles a gente não existe. Precisamos fazer a nossa parte não só dentro da quadra, mas fora também”, ressalta o norte-americano.

“É muito importante e sempre que a gente tiver essa oportunidade de trazer o nosso projeto para o Sesc será um prazer. Hoje nós trouxemos alguns dos nossos destaques e os três americanos são muito requisitados. Isso abre uma porta interessante para outros Sescs. Nós, que também logo mais teremos uma unidade na nossa cidade, viemos compartilhar com eles o nosso projeto, que é um sucesso, e ficamos muito felizes de passar um pouco da nossa história e da vivência dos atletas. Fomos muito bem acolhidos e queremos que isso se estenda para outras unidades”, conclui o secretário de Esporte e Lazer de Mogi, Nilo Guimarães.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui