Cônsul geral da África do Sul visita Guarulhos para discutir desenvolvimento social

0
12

Representantes da Prefeitura de Guarulhos receberam o cônsul geral da República da África do Sul, Malose Mogale, e o cônsul político, Rudzani Mudau, na manhã desta segunda-feira (5), no Paço Municipal, para discutir políticas afirmativas para o desenvolvimento social da população negra e periférica.

A reunião contou com a presença do secretário de Desenvolvimento Científico, Econômico, Tecnológico e de Inovação (SDCETI), Rodrigo Barros, do secretário de Assuntos Difusos, Lameh Smeili, do subsecretário de Igualdade Racial, Anderson Guimarães, e do diretor de Relações Federativas e Internacionais, Glaucio Franca, e o chefe de Gabinete, Jurandir Pereira.

Os integrantes da mesa trocaram conhecimentos sobre políticas e estratégias implantadas em Guarulhos e na África do Sul para o empoderamento da sociedade e desenvolvimento social da população negra, a partir do incentivo, suporte e orientação para os empreendimentos. Segundo o censo do IBGE de 2010, 45% da população de Guarulhos é composta por pretos e pardos, e desses, 48,1% são jovens de 15 a 29 anos.

Os convidados foram apresentados ao programa Aprende e outros planejamentos para a descentralização de programas de incentivo a negócios, que visam levar crescimento para as comunidades, empoderando as populações locais. O cônsul Malose Mogale falou sobre como são fomentados os programas de inclusão e desenvolvimento nas vilas sul-africanas, com métodos de suporte financeiro e políticas raciais.

Relações

O secretário Rodrigo Barros também apresentou propostas para expandir as relações comerciais entre Guarulhos e África do Sul. “Essa é uma grande oportunidade de trocar experiências, quando olhamos para algumas cidades da África do Sul, elas possuem similaridades com a nossa. Em primeiro lugar, são cidades populosas, o subdesenvolvimento é um fato delas, e em Guarulhos temos um índice grande de subemprego. Em segundo lugar, devemos desenvolver o comércio. Hoje já exportamos para a África produtos químicos, minerais, máquinas e equipamentos, então, acredito que com essa relação que estamos construindo podemos aumentar nosso saldo de exportação e fomentar o que os empresários podem comprar daqui”, finalizou Barros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui