José Luiz Monteiro assina adesão ao programa Internet para Todos

0
79

O prefeito de Arujá, José Luiz Monteiro, assinou nesta segunda-feira (12/03), em Brasília, a adesão ao programa federal Internet para Todos.  Por meio da iniciativa, será ampliada a rede de conectividade do Alto Tietê, com a cobertura de sinal em regiões onde a tecnologia não chega hoje.

Nesta primeira fase, além de Arujá, serão atendidas Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano. Os municípios começarão a receber as antenas neste semestre e a expectativa é que a operação se dê no segundo semestre.

O termo de adesão assinado pelos prefeitos em solenidade com o presidente da República Michel Temer, e o ministro da Ciência Gilberto Kassab, define a infraestrutura básica e as condições para a participação dos municípios no programa.

“Essa é uma conquista importante para Arujá e região. E é importante ressaltar que entre os benefícios estão a conexão a um custo menor e o fornecimento de banda larga para equipamentos públicos como escolas, postos de saúde e hospitais”, destacou o prefeito arujaense, que esteve em Brasília ao lado do diretor geral da Prefeitura, Joncy Silva.

“As cidades já receberam do Ministério o mapeamento das áreas de sombra possíveis de receber o programa e com a adesão hoje o processo deverá andar de forma rápida, com a definição das localidades a serem beneficiadas e a instalação das antenas”, ressalta o presidente do Condemat, Rodrigo Ashiuchi, prefeito de Suzano.

O programa

O programa Internet para Todos tem cerca de 2.500 cidades habilitadas no Brasil todo e a participação do Alto Tietê é fruto de uma ação liderada pelo Condemat. Em novembro do ano passado, o ministro Kassab se reuniu com os prefeitos do consórcio e destacou a necessidade de articulação regional para ampliar as chances de receber os investimentos, que devem beneficiar 40 mil localidades. Os prefeitos de mobilizaram para enviar os ofícios e avaliar as áreas indicadas pelo Ministério para participação já na primeira fase do programa.

A conexão de internet será feita por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC), de propriedade do governo brasileiro e que recebeu R$ 3 bilhões em investimentos. Em órbita desde maio de 2017, o satélite tem vida útil de 18 anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui