Plano de Desenvolvimento e Proteção Ambiental da Sub-Bacia do Rio Guaió é apresentado ao prefeito de Suzano-SP

0
38

 Lei que ordena manejo da bacia do Guaió passa por revisão; pontos importantes foram colocados sob avaliação do Poder Executivo suzanense, na manhã desta quarta-feira (12 de julho), como o impacto de ocupações e a possível implantação da alça do rodoanel “Mario Covas” (SP-21) na estrada dos Fernandes

Em reunião realizada no Paço Municipal “Firmino José da Costa” (rua Baruel, 501, 2º andar – centro) na manhã desta quarta-feira (12 de julho), representantes da Secretaria Estadual de Saneamento e Recursos Hídricos apresentaram o Plano de Desenvolvimento e Proteção Ambiental da Sub-Bacia do Guaió ao prefeito Rodrigo Ashiuchi. Como a matéria que reside sobre o assunto passa por recentemente revisão, pontos importantes foram colocados à avaliação por parte da administração municipal, incluindo o impacto de ocupações e a possível implantação de uma alça ao rodoanel “Mario Covas” (SP-21) na estrada dos Fernandes.

Além do chefe do Poder Executivo suzanense, acompanharam as discussões o deputado estadual Estevam Galvão de Oliveira, autor da lei original que norteia sobre o uso e a ocupação da bacia do rio Guaió; o secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, o arquiteto Elvis José Vieira; o secretário de Meio Ambiente de Suzano, Carlos Toshiharo Watanabe; bem como representantes das Prefeituras de Mauá-SP e de Ribeirão Pires-SP.

A bacia do Guaió passa por seis municípios: Suzano, Ferraz de Vasconcelos-SP, Poá-SP, Mauá e Ribeirão Pires, bem como numa pequena parte de São Paulo-SP. O rio é utilizado eventualmente pela Companhia de Saneamento Básico de São Paulo (Sabesp) para a captação de água.

Com o avanço das ocupações urbanas nas últimas décadas, se fez necessária a elaboração de uma lei específica para o rio, a fim de que se ordenasse o uso do solo de forma que os impactos ambientais fossem combatidos e/ou minimizados. Agora, a legislação, de autoria de Estevam Galvão, passa por revisão, sendo que as cidades que tem influência no curso d´água, como é o caso de Suzano, devem participar das discussões.

Segundo o secretário municipal de Planejamento Urbano e Habitação, a questão é debatida desde 2013 no Conselho das Sub-Bacias do Alto Tietê. Contudo, se torna ainda mais necessária neste momento, em razão da possibilidade de Suzano ser contemplada com uma alça do rodoanel:

“A implantação do novo acesso, na altura da estrada dos Fernandes, inclusive, está sendo considerada nesta revisão, assim como os mecanismos para atenuar o impacto ambiental desta possível obra. Com os dados que recebemos hoje, confirmamos que a área da Bacia do Guaió em Suzano continua protegida, diferentemente do que acontece em outros municípios, infelizmente”, observou Vieira.

Ashiuchi, por sua vez, lembrou que o Plano de Manejo do Guaió vem ao encontro do planejamento de ocupação territorial do Grupo Técnico de Apoio (GTA) do Plano Diretor de Suzano:

“Estas questões têm influência regional. Como o estudo abrange outros municípios, vamos realizar outra reunião, programada, a princípio, para o próximo dia 24 (de julho – segunda-feira), aqui em Suzano, com a participação de representes de Poá e de Ferraz (de Vasconcelos) e de membros de entidades ambientais e de conselhos de classe. A Bacia do Rio Guaió é de suma importância para a produção de água para a região metropolitana. Durante a elaboração de nosso Plano Diretor, temos levado em conta a importância deste curso d´água e sua conservação”, atestou o político.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui