Saúde inicia processo para implantar protocolo de captação de órgãos

0
87

Objetivo da Prefeitura de Suzano é capacitar profissionais para que possam identificar potenciais doadores e realizar o procedimento no município

A Secretaria de Saúde de Suzano deu início ao processo de implantação do protocolo de captação de órgãos e tecidos no Pronto-Socorro Municipal (PS) Adulto e Infantil. A primeira ação foi uma palestra sobre o assunto com a equipe de enfermagem da unidade, composta de 150 profissionais, entre enfermeiros, técnicos e auxiliares, nesta terça e quarta-feira (08 e 09/05), no anfiteatro da Santa Casa de Misericórdia da cidade. O objetivo é fazer com que o serviço esteja disponível e possa ser executado no município ainda neste ano.

De acordo com a coordenadora de Educação Permanente do PS, Lucineia Ferreira Sousa, haverá algumas etapas para capacitação da equipe, inclusive dos médicos. A iniciativa surgiu diante da demanda de familiares de pacientes em óbito que manifestam interesse em autorizar a doação. “Este foi um primeiro contato com o tema. Em seguida estão previstas a realização de treinamento, pois é necessário organizar e preparar a equipe, e a implantação do protocolo em si nos próximos meses”, explicou.

A palestra foi apresentada pela enfermeira Priscila Fukunaga, responsável pelo Serviço de Captação de Órgãos e Tecidos da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, com quem a Prefeitura de Suzano firmou parceria para iniciar esse processo. Ela explicou que a primeira fase é orientação dos profissionais (inclusive dos assistentes sociais que atuam no PS) sobre o tema e depois, em um segundo momento, ocorrerá um curso sobre comunicação, cujo objetivo é capacitar acerca de como acolher a família em casos de óbito, ajudar a encarar o luto e tratar do assunto sem influenciar na decisão de autorizar ou não a doação de órgãos e tecidos do paciente.

Na sequência, começa a etapa prática com a equipe multidisciplinar, onde são abordadas técnicas de cuidado e avaliação de um potencial doador e de aplicação do protocolo propriamente dito, que consiste na realização de exames que constatam a morte encefálica do paciente e o ratificam como apto para o procedimento. “É só partir deste momento que se oficializa a comunicação com os familiares para confirmar a realização da doação”, disse Lucineia. Em relação à captação dos órgãos e tecidos em si, principalmente como e onde ocorrerá, o assunto ainda será estudado e definido.

Para o secretário municipal de Saúde, Luis Claudio Guillaumon, a implantação do protocolo será uma conquista bastante importante para Suzano. “Sem dúvida, dará mais qualidade ao atendimento prestado no Pronto-Socorro Municipal. Trata-se de um processo demorado, que precisa de regulação para ser executado e, principalmente, da capacitação da equipe, que estamos iniciando agora”, destacou o chefe da pasta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui