Saiba o que levar em consideração para calcular o volume ideal diário e se manter hidratado

Com as altas temperaturas, típicas do verão, nosso organismo sente a necessidade de ingerir mais líquidos, principalmente as bebidas refrescantes. Isso para manter-se hidratado e repor os fluidos eliminados por meio do suor, que costuma ser abundante nesta época do ano. Mas, como saber a quantidade ideal a ser ingerida, ainda mais se tratando de pessoas em tratamento contra o câncer?

De acordo com o Consenso Brasileiro de Nutrição Oncológica, desenvolvido pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca), a média pode variar entre 30 e 35ml por quilo de peso. Se a regra for levada ao pé da letra, uma pessoa de 60kg deveria beber 2 litros de água.

Contudo, há variáveis que precisam ser consideradas na hora de se estabelecer o volume adequado, como, por exemplo, o valor calórico da dieta diária.

De acordo com a explicação do nutricionista do Centro Oncológico Mogi das Cruzes, Diego Lima, “existe a orientação universal de se consumir 1ml de água para cada caloria ingerida, mas o líquido que nosso organismo precisa não está presente apenas na água em seu estado puro. Ela também é encontrada nos alimentos, como frutas, legumes e verduras presentes em nossas refeições”.

Além desse esclarecimento, Lima reforça que não há um padrão rígido a seguir, especialmente em relação aos pacientes em tratamento oncológico. “Há diretrizes gerais baseadas em estudos internacionais sérios e respeitados, mas somente um acompanhamento personalizado, que leve em consideração as restrições impostas por alguns tipos de câncer – como o renal –, é possível calcular o quanto cada pessoa precisa e deve consumir”.

A importância da água durante o tratamento oncológico

Além de todos os benefícios amplamente divulgados sobre a ingestão regular de água, pacientes em luta contra o câncer oncológico encontram no líquido um importante aliado em duas situações específicas do tratamento: durante a administração de medicamento intravenoso e após as terapias radio ou quimioterápicas.

“Pacientes que não se hidratam adequadamente apresentam veias mais finas, dificultando o acesso periférico e causando mais dor e desconforto à pessoa que já se encontra em um estado de fragilidade”, esclarece Lima.

O nutricionista também explica que sintomas como náusea, cansaço e boca seca, geralmente identificados como efeito colateral do tratamento oncológico, podem ser causados por desidratação.

Opções para se manter hidratado

Para as pessoas que não gostam de água, o nutricionista do Centro Oncológico Mogi das Cruzes indica algumas opções, como água de coco, chás gelados e água saborizada com frutas, alecrim, gengibre e hortelã que, além de refrescar, também ajudam a combater as náuseas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui