Balanço da Secretaria de Saúde mostra que 50,5% das notificações suspeitas de dengue feitas pelas unidades de atendimento de Arujá são de moradores de outros municípios. São notificados os casos de pessoas que buscam o serviço de Saúde da cidade com os sintomas da doença: febre, dor de cabeça e atrás dos olhos, moleza e dor no corpo, entre outros.

         As notificações não significam casos confirmados de dengue: desde o início do ano, por exemplo, Arujá registrou 936 notificações de cidadãos de outros municípios, com 17% de confirmação de dengue. Com relação aos arujaenses, 909 casos foram notificados e 15% (123) dos resultados de exames deram positivo.

         Para a Secretaria de Saúde, a qualidade de atendimento e de diagnóstico das unidades municipais e o fato de o hospital particular receber muitos pacientes de municípios da região contribuem para o aumento na busca por serviços existentes em Arujá.

         Ações

         Além do atendimento médico em UBSs, Centro de Especialidade e Prontos Atendimentos, Arujá promove um enfrentamento diário contra os criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

         Somente no primeiro quadrimestre do ano houve mais de 13 mil visitas a imóveis por parte da equipe do Departamento de Controle de Vetores, sendo que em 11 mil deles foram realizados os trabalhos de bloqueio que consistem na eliminação de focos.

         Arujá também coletou 86 toneladas de pneus em borracharias, casas e comércio, aplicou inseticida em mais de 3,9 mil imóveis, recolheu mais de 14 mil objetos inservíveis que poderiam tornar-se criadouros e ainda instalou faixas nos locais com risco de transmissão da doença.

         Todas as ações visam à evitar a proliferação do Aedes aegypti, o aumento dos casos, contabilizados até o momento em 123 (quatro deles importados), e à conscientização da população.

         Pode virar foco do mosquito transmissor da dengue qualquer objeto que acumule água parada, motivo pelo qual a Secretaria orienta que garrafas, potes, baldes e outros recipientes sejam guardados com as bocas para baixo, que as caixas d’água permaneçam bem tampadas e que calhas passem por limpeza periodicamente. Até mesmo os potes de água dos animais domésticos devem ser lavados com escova e sabão.

         Denúncias

         Denúncias de possíveis focos podem ser feitas ao Disque-Dengue (0800 788 8882), exclusivo para moradores de Arujá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui