Nutricionista Claudia Sanibal explica que a Ingestão de alimentos e água contaminados por bactérias estão entre os principais causadores do problema

Com o termômetro marcando temperaturas cada vez mais altas, nosso organismo sente a necessidade de consumir alimentos leves e crus, como frutas e hortaliças, utilizadas na preparação de saladas e sucos.

Contudo, apesar de serem muito saudáveis e altamente recomendados, devido às suas qualidades nutricionais, produtos in natura pedem uma preparação cuidadosa, principalmente em relação a sua higiene, para que não sejam os responsáveis por uma intoxicação alimentar.

Também conhecida por virose, a intoxicação gastrintestinal (gastroenterocolite aguda) é causada pela ingestão de alimentos que contêm organismos prejudiciais ao nosso corpo: parasitas, vírus e bactérias, como salmonellaecolliclostridium e staphilococos.

“A salmonella e o staphilococos são os agentes mais frequentes de infecção, pois se multiplicam no interior do intestino após a ingestão da comida contaminada”, explica a mestre em Nutrição pela Universidade de São Paulo, Claudia Sanibal.

Os organismos nocivos também podem ser encontrados em alimentos como carne crua, frango, peixes e ovos. No caso das carnes, elas podem oferecer algum risco à saúde quando não armazenadas corretamente ou quando deixadas muito tempo fora de um ambiente corretamente refrigerado.

Para preservar a integridade dos alimentos e afastar os riscos de contaminação, Claudia salienta a importância de manter alguns hábitos básicos, como “higienizar corretamente os alimentos, lavar bem as mãos antes de manipular ou consumir alguma refeição, além de limpar e secar corretamente os utensílios e o local de preparo são medidas simples e eficazes”.

Outro cuidado é observar atentamente o aspecto dos alimentos que consumimos fora de casa ou nos restaurantes. “Analise a cor e a textura dos alimentos, sejam eles crus ou pratos prontos para o consumo. Também perceba se o cheiro característico se mantém presente. Caso negativo, não compre ou recuse a refeição. Evite, também, consumir carne crua ou mal passada em locais desconhecidos”, salienta a nutricionista.

 Tratamento

Sintomas como cólica, diarreia, dor de estômago, febre e náuseas são comuns em casos de intoxicação alimentar. Para que o corpo se recupere, o ideal é ficar em repouso, ingerir muita água e fazer apenas refeições leves até que os sintomas desapareçam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui