Segurança: Grupo de Atibaia apresenta detalhes do Gabinete de Gestão Integrada; Arujá deve implantar

0
19

Referência nacional, o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) de Atibaia teve seu funcionamento, atuação e índices mais significativos destrinchados em reunião que a Guarda Civil Municipal (GCM) de Arujá preparou, nesta quarta-feira (11/09), na Prefeitura de Arujá. O modelo é o mesmo que a GCM arujaense pretende implantar na cidade, conjuntamente com Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e outras forças de segurança.

        Participaram do encontro o prefeito José Luiz Monteiro, o secretário municipal de Segurança Pública, Carlos Roberto Vissechi, o comandante da Guarda, José Carlos Silva, o subcomandante da corporação, Uelton Almeida, os vereadores Luiz Fernando Alves de Almeida e Ana Poli, o tenente Ronildo Lopes, comandante atual da Polícia Militar na cidade, e fiscais da Prefeitura, além de GCMs de Suzano. De Atibaia, compareceram o vice-prefeito Emil Ono, o secretário de Segurança Pública, Lucas de Oliveira Cardoso, o delegado Elton Costa e o capitão da PM, Wanderley Turolla.

         “Segurança pública é uma das maiores preocupações das pessoas hoje em dia e nós estamos trabalhando pesado nisso. Criamos a Secretaria para ser um canal, um local e um serviço por onde desenvolvemos os trabalhos nesta área. Reestruturamos e reequipamos toda a Guarda e fico feliz pela vinda de vocês aqui porque sempre há meios de melhorar e nada melhor do que a troca de experiências que funcionam”, afirmou o prefeito.

         “A nossa GCM é hoje uma referência na região do Alto Tietê, mudou completamente em um ano e sete meses e vem recebendo mais investimentos do que os dos últimos 20 anos. Uma Guarda forte faz com que toda a cidade saia ganhando”, disse o secretário Vissechi.

         GGI Atibaia

         Por mais de uma hora o grupo explicou que o GGI atibaiense reúne, além das Polícias Civil, Militar, Rodoviária Estadual e Federal, a GCM e a Segurança Pública, o Corpo de Bombeiros, o Poder Judiciário e o Ministério Público. Teve início em março de 2017, mantém encontros quinzenais e inclui outras ações, como Vizinhança Solidária em 57 bairros, convênios com os sistemas Detecta (governo estadual) e Alerta Brasil (Polícia Rodoviária Federal), operações diárias e a Muralha Digital Integrada, responsável por monitorar todas as entradas e saídas cidade.

         “O poder público apoia integralmente o GGI e não interfere nas questões técnicas e operacionais. O que podemos dizer é que a vida da população atibaiense melhorou muito em vários fatores. Temos hoje o segundo menor índice de morte violenta do Brasil”, explicou o vice-prefeito daquela cidade. “O mais importante é que todos são parte do mesmo problema, porque sem comprometimento, não é possível funcionar”, disse o secretário de Segurança.

        Entre os índices apresentados, estão a redução dos homicídios – é a segunda do Brasil entre as cidades com mais de 100 mil habitantes, com mais de 60% de solução dos casos -; dos furtos de veículos, em 21,8%; e o esclarecimento de 271 crimes por meio da Muralha Digital, entre outros.

         “Entre os casos de repercussão estão as apreensões de mais de 4,6 toneladas de drogas, que conseguimos incinerar em 24 horas, e de um fuzil, que foi incorporado à Polícia Rodoviária Federal. Nos dois casos, a integração dos órgãos foi fundamental”, explicou o delegado.

         Aprimoramento

         Em Arujá, o objetivo é aprimorar trabalho semelhante que já vem sendo feito, como explica o comandante da GCM. “Já realizamos operações conjuntas com PM e Polícia Civil, logo é um caminho que já trilhamos e que, em nossa opinião, pode evoluir”, disse José Carlos. “O fundamental é que, funcionando como deve, o Gabinete dá resultado à população. Além disso, a integração é cada vez mais necessária nos dias de hoje”, afirmou o subcomandante Uelton.

         Apoio

       Presentes na reunião, os vereadores Luiz Fernando Alves de Almeida e Ana Poli, respectivamente presidente e vice-presidente da Comissão Permanente de Segurança Pública da Câmara, colocaram-se à disposição para colaborar com a implantação do GGI na cidade.

         “É muito bacana ver que é possível fazer isso em Arujá. A GCM já é um destaque da gestão do prefeito e quando a Prefeitura traz um trabalho de referência para uma reunião como esta, está sinalizando de maneira clara e objetiva que é esse o modelo que quer implantar aqui. A Câmara e a Comissão de Segurança são totalmente favoráveis”, afirmou Luiz Fernando. “Há uma gama de ações que podem ser realizadas e esse trabalho integrado é a chave”, afirmou Ana Poli.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, comente
Coloque seu nome aqui